CAPITULO II – O AMBIENTE HOSPITALAR

1 – HOSPITAL

Palavra de origem do latim “hopes” – hospede, que significa “ lugar em que há pessoas hospedadas” . Foram diversas definições de hospital dadas ao longo dos tempos na tentativa de conceituar mais amplamente possível este ambiente fundamental no restabelecimento da saúde perdida.

“Hospital é a parte integrante de um sistema coordenado de saúde, cuja função e dispensar a comunidade completa assistência medica, preventiva e curativa, inclusive serviços extensivos a família, em seu domicilio e ainda um certo treinamento medico e para – medico, e de pesquisa biossocial”.

Funções

De acordo como a Organização Mundial de Saúde (OMS) agrupou as funções que podem, ser desenvolvidas no hospital, da seguinte forma:

Ø Função restaurativas: diagnóstico, tratamento, reabilitação e emergência.

Ø Função de prevenção: supervisão da gravidez e supervisão do crescimento e desenvolvimento normal da criança e do adolescente, controle das doenças transmissíveis, prevenção das doenças de longa duração. Prevenção da invalidez física e mental, educação sanitária e saúde ocupacional.

Ø Função de ensino, educação e pesquisa: ensino pratico das profissionais de medicina, enfermagem, serviço social, etc., formação de pós-graduação e especialistas, aspectos físicos, psicológicos e sociais da saúde e doença, atividades hospitalares, técnicas e administrativas.

Classificação

Assim como podemos dar diversos conceitos ao hospital, também podemos classificá-lo de diversas formas, tais como:

Ø De acordo com o atendimento, visando o aspecto clinico, o hospital , pode ser: geral e especializado.

Ø Do ponto de vista gerencial, visando o aspecto administrativo pode ser: governamental, federais, municipais e particulares.

Ø De acordo com a localização ou estrutura: horizontal, vertical, monobloco, pavilhonar.

a) De acordo com capacidade:

Pequeno porte: ate 49 leitos Médio porte: de 50 a 199 leitos

Grande porte: de 200 a 499 leitos Porte especial: acima de 500 leitos

b) De acordo com a permanecia da clientela:

Hospital dia Hospital de curta permanência

Hospital de longa permanência Hospital de crônicas

Tipos de Unidade de Saúde

a) Posto de Saúde : é uma unidade de saúde que presta assistência a uma população determinada, estimado em ate 2.000 habitantes,

b) Centro de Saúde: é uma unidade de saúde que presta assistência a uma população determinada, contando com uma equipe interdisciplinar em caráter permanente, com médicos gerneralistas ou especialistas.

c) Unidade Regional de especialidades ( ambulatório de especialidades): é concebido para atender agrupamentos populacionais superiores a 30.000 habitantes.

d) Unidade Mista : é o estabelecimento de saúde destinada a prestar assistência á saúde, em regime ambulatórial e de internação. Deverá estar programada para atender agrupamentos populacionais que não ultrapassam 15.000 habitantes, e em locais onde o centro de saúde/hospital local ou regional é difícil , sendo coordenada pelo centro de saúde.

e) Hospital Local: é o estabelecimento de saúde destinado a prestar assistência medica em regime de internação e urgência, nas especialidades médicas básicas. Com agrupamentos populacionais com mais de 20.000 habitantes, o hospital local é referencia de internação.

f) Hospital Regional: é o estabelecimento de saúde destinada e prestar assistência médica em regime de internação e emergência nas especialidades médicas básicas. A população mínima da área não deve ser menor do que 20.000 habitantes.

g) Hospital Especializado: é o estabelecimento de saúde destinado a prestar assistência médica, em uma só especialidade em regime de internação e de emergência, aos clientes referidos das áreas de menor complexidade do sistema.

2 – INFECÇÃO HOSPITALAR

A infecção hospitalar é aquela que não estava presente e nem em incubação ( se desenvolvendo sem se manifestar, em silencio) no momento em que o cliente internou no hospital. A infecção comunitária é aquela que já estava presente no momento em que o cliente internou no hospital. Pode ate estar em incubação e aparecem os sintomas após a internação.

Portaria n.º 196, de 24 de julho de 1983 – M.S : “ E qualquer infecção adquirida após a admissão do cliente, e que se manifesta no decorrer da sua permanecia no hospital, ou mesmo depois da alta, em alguns casos conduzindo ate a morte, mas sempre relacionada com a hospitalização”.

Tipos de infecções hospitalares

a) De acordo com o local de instalação: infecção urinarias, infecções cirúrgicas, infecções respiratórias, Sepses.

b) De acordo com o agente causador:

- Cruzada: provocada pôr uma cepa que penetra no organismo enfermo com um sistema defensivo gravemente afetado, procedente de um portador ou dos fômites de outros doentes.

- Superinfecções hospitalar: é um quadro clinico, causado pôr uma nova bactéria que atua como agente continuador do processo infeccioso no qual o doente é portador.

- Infecções oportunistas: provocada pôr germes não patogênicos de um organismo comprometido.

Suscetibilidade do Hospedeiro

Os seguintes grupos de pessoas estão sob maior riscos de adquirir infecções, independentemente de hospitalares ou comunitárias.

1 – Pessoas nos extremos das faixas etárias, ou seja, recém nascidos e idosos. Os recém nascidos pôr sua imunidade ainda não complemente desenvolvida e os idosos em função de que os diversos sistemas do organismo aos poucos vão reduzindo sua perfeita capacidade funcional.

2 – Condições de imunização

3 - Tipo de doença básica

4 – Efeitos do procedimento de diagnostico e da terapêutica : biópsia, cateterização, aspirações de fluidos, cirurgias , uso de antibióticos, radiações ionizantes.

5 – Clientes com necessidades de drogas imunossupressoras como quimioterapicos e corticoiteróides.

6 – Clientes com determinadas doenças crônica, como diabéticos, leucemicos, Câncer, linfoma ou nefrose

7 – Clientes sob stress.

8 – Clientes com alterações de sua barreira naturais

9 – Clientes com problemas neurológicos afetando suas respostas reflexas.

10 – Clientes desnutridos

11 – Clientes obesos (pôr maior risco para infecção cirúrgicas)

12 – Fumantes ( maior risco para infecções cirúrgicas e respiratórias)

13 – Alcoolismo

14 – Hipogamaglobulinemia

Defesa

1 – Imunidade celular ( defesas gerais desenvolvidas pelo organismo, levadas através do sangue e fluidos).

2 – Imunidade Passiva ( passada de mãe para o filho pela placenta ou pela amamentação)

3 – Imunidade Ativa: adquirida após Ter uma doença e ficar imune á ela e adquirida através de vacinas.

Transmissão das infecções hospitalares

As infecções hospitalares se desenvolvem pela combinação de diferentes fatores:

a) Defesas individuais ( suscetibilidade do hospedeiro)

b) Grau de agressividade dos microorganismos ( agentes infeccioso).

c) Modo de transmissão da doença -( forma do microorganismo entrar no organismo humano)

d) O meio ambiente

Fontes de infecção

As fontes imediatas de microorganismos no hospital são:

a) As pessoas : funcionários, visitantes e clientes.

b) Fômites: são objetos inanimados ( material e equipamentos médicos)

c) Alimentos

d) Animais antrópodes

Vias de transmissão

a) Transmissão por contato

- Via direta: contaminação direta da fonte ao receptor sem um objeto intermediário

- Via indireta :os microorganismos transferem – seda fonte para o receptor através de um objeto intermediário

- Por goticulas : são aquelas cujos agentes infecciosos são transmitidos da fonte em forma de goticulas ao receptor que se encontra a curta distancia.

b) Transmissão pelo ar

Dependendo do tipo de doença pode ser apenas pela respiração (mais raro) ou por espirro ou tosse. Pessoas com gripe ou outras infecções muito transmissíveis, como o sarampo e tuberculose se transmitem desta forma.

c) Transmissão por vetores

Locais sujos podem ser atrativos de insetos e roedores, causando a transmissão de doenças através destes vetores de infecção.

d) Transmissão por fonte/ veiculo comum

Quando diversos clientes se submetem ao mesmo tipo de tratamento ou alimentos contaminados, diz – se que a transmissão da infecção ocorre por uma fonte comum do mesmo microorganismo ou sua toxinas.

Modo

Tipo

Doença

Contato

Direto

- Hepatite B

- Gonorréia

- Sífilis

- Infecções por estafilococos

Indireto

- Infecções por Pseudonomas

- Malária

- Hepatite A

Transportada pelo Ar

Goticulas

- Sarampo

- Faringite por estreptococos

Núcleo de Goticulas

- Varicela

- Tuberculose

- Difteria

Veiculo Comum

Transportada por alimentos

- Salmonelose

- Gastroenterite por estafilococos

Transportada por água

- Shiguelose

Transportada por Vetores

Mosquito, pulga, carrapato, ácaro e piolho

- Malária

- Peste Bubônica

- Riquetsioses

Principais medidas para prevenção de infecções hospitalares

O principal modo de evitar a transmissão das infecções hospitalares é, portanto LAVAR AS MÃOS antes e após o contato com os clientes e após as eliminações.

A Limpeza do ambiente e dos materiais que o cliente irá utilizar é outro dos modos de evitar a propagação das infecções.

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: